Post Top Ad

Tudo o que você sempre quis saber sobre meu coração

Para quem não me conhece a fundo eu posso parecer bem desencanada, mas a verdade é que eu sou uma pessoa bem intensa e sempre apaixonada: seja pela minha família, pela vida, pelos que me rodeiam ou pelo meu trabalho.
Sabe outra coisa por qual eu sou apaixonada? Escrever. Me tornei uma viciada em leitura por volta de 2007 (UAU, 10 anos haha) e em 2008, decidi que eu podia escrever minha própria versão das histórias após eu conhecer o mundo das Fanfics. 
Para quem não sabe, Fanfiction é a ficção escrita por fãs, sem caráter comercial ou lucrativo, a partir de uma determinada história criada por terceiros. Ou seja, é a versão dos fãs da história!  
Eu nem acredito que tem gente que me segue na internet desde aquela época, mas tem! (Vide post feliz feliz feliz da Comic Con). É, então. O que alguns não sabem é que eu adquiri um tipo de paixão por um grupo específico de personagens da saga Harry Potter: Os Marotos. Muito queridos pelos fãs da saga, mas longe de protagonizarem a história criada por J.K. Rowling, os marotos ganharam seu próprio lugar como as estrelas que são na internet, mais especificamente entre os sites de fanfic do mundo todo. Como a história original não nos fornece muito detalhes sobre a vida estudantil desses personagens, os fãs tem uma liberdade imensa para criar fandons e suas próprias teorias sobre esses seres irreverentes e mundialmente venerados que são os marotos.
Consequentemente, sobre o que eu mais lia e escrevia na adolescência? Aluado, Rabicho, Almofadinhas e Pontas, claro.
E ai chegamos no ponto crucial de eu estar mencionando isso agora num post sobre meu lindo coraçãozinho. 
Muita atenção: Eu vou parecer muito louca agora, mas fazer o que? É a pura verdade e ela precisa ser compartilhada.  
James Potter. Esse é o nome do meu protagonista queridinho. É, ele é o pai do Harry Potter.
James. James. James. James. James. James. James. James.
James se tornou minha idealização de pessoa perfeita do sexo oposto. HAHAHA é louco, eu sei, mas falo sério.
Líder nato do grupo, James é muito leal a seus amigos, inteligente, extremamente divertido, meio cego - mas os óculos lhe dão todo um charme a mais, não dão? -, meio rebelde e gentil. Quem não amaria o James? Por Merlin, meia internet ainda ama! 






Ocorre que, como o James se tornou minha referência, sempre que eu saia de algum relacionamento ou quando alguma paixonite acabava eu dizia pra mim mesma: você não era o meu James. Bonitinho? ou patético? Depende do seu ponto de vista. 
A questão disso ser relevante aqui é: como vocês acham que eu reagiria ao me deparar com alguém que é extremamente... James? 
Como você acha que se sentiria ao esbarrar em alguém que é uma versão real da sua ideia de par perfeito?
É estranho e inacreditável.
Quando ele está por perto parece que o mundo todo fica ofuscado. E às vezes, eu fico na dúvida se ele sabe quem ele realmente é ou quem ele quer ser (e tudo que eu quero é poder ajudar) e não tenho certeza se ele sabe toda a importância que ele tem. (pelo menos pra mim haha).
Eu gosto do modo como ele fala as coisas, gosto de como ele usa a inteligência para ser engraçado e sabe, ele cheira a natal <3 (eu não sei como explicar isso, mas, todo mundo sabe como eu AMO o natal, não é?).
E sabe o que mais? Ele altera o batimento do meu coração.
Porém, como nem tudo sempre é perfeito, confesso que ele me distrai, às vezes ele é frustrante, eu não consigo não orbitar em volta dele quando ele está por perto (o que me deixa muito irritada comigo mesma) e geralmente ele me deixa muito confusa sobre o que ele quer, afinal.

Mas,sabe, a real a questão sobre a coisa toda não é sobre o que ele sente por mim, mas, sim sobre o quanto eu sou capaz de sentir por ele. Acho que essa é a grande questão sobre o amor :)

E eu nem sei porque estou compartilhando toda essa minha loucura pessoal com vocês. Eu só..quis. Haha 

That's all, Folks!

Edit: Haha Bom, na verdade a função desse texto era contar para vocês, leitoras queridas, que eu também já fui uma escritora e que surpreendentemente esse dom ai vive dentro de mim.
Eu posso ser bem criativa, principalmente quando interpreto Lily Evans. Quem curtiu? Querem uma série de pequenos textos ficcionais publicados aqui no blog?
Me digam nos comentários.

Até mais!

3 comentários:

  1. UAUAUHAA Shit Happens!!! :(
    Uma hora as coisas se acertam, tenha paciência...
    Quando voce menos esperar estará liberta! E pronta para algo novo ...

    <3

    ResponderExcluir
  2. Bonita, me chama do nome que quiser. Só vem HAHAHA

    ResponderExcluir
  3. O amor é tão magnífico e ao mesmo tempo tão amedontrador, amamos alguém que muitas vezes é extremamente feliz se nós, e se nos tratam mal, criamos inúmeras desculpa para isso como se esse "ser" estivesse com algum problema (ou se como o problema fossemos nós) capaz de o fazer mudar o tratamento, mas o fato é que criamos uma versão que amamos da pessoa que conhecemos, o problema é que só com o passar do tempo Que notamos isso, mas ai já é tarde!
    O amor é a idealização irreal de alguem , um alguem que não existe, mas ainda assim não sabemos viver sem!

    ResponderExcluir

Post Top Ad

Instagram @blogbrunaconstantino